Para os Gnósticos, acima do deus criador do mundo e do homem existe outro Deus. O deus criador não é o único deus. Há sobre ele outro Deus, infinitamente superior e perfeito. Este Deus, incognoscível para o homem, está fora de toda esta criação infernal e impura. Nenhum homem pode conhecer a este Deus através de seu corpo e alma, imperfeitos e criados. Somente o homem que se libertou totalmente disso pode ter uma pequena idéia, um átimo de intuição de que é esse Deus que está fora do universo finito e limitado. Os antigos gregos o chamavam de Theos Agnostos, o Deus Desconhecido. Este Deus, é para os Gnósticos um Deus não só desconhecido, mas também impossível de conhecer, é incognoscível, pelo menos com nossa forma ordinária de ser neste mundo. Com um corpo e uma alma não podemos ter a menor idéia do que é este Deus que está fora de todo este sistema e que é infinitamente superior ao deus criador. Um Deus impossível de conhecer deste corpo e alma, deste universo criado de matéria e tempo. Este Deus não pertence ao plano material mas sim a um anti-material. É um Deus anti-matéria, abominador do inferno material da matéria criada, ao qual do nosso estado atual, não podemos conhecer, nem sequer imaginar. É um mistério para nós. Este Deus Incognoscível é como um fogo inconcebível e inefável. Ele é o Deus Verdadeiro. Porém este Deus Verdadeiro, normalmente inalcançável, não pode manifestar-se nem atuar neste universo impuro e imperfeito, nestas dimensões infernais de matéria e tempo criados. Somente em casos excepcionais o Deus Incognoscível pode penetrar nestas dimensões, através de algum enviado seu, com a finalidade de produzir alguma troca, com grande sacrifício. Isto acontece somente em ocasiões muito raras, quando se dão as condições aqui, neste inferno material.

José Maria Herrou Aragón

(continua…)

Advertisements