Os Cristãos Gnósticos do século II acreditavam que somente uma revelação especial de conhecimento, ao invés de fé, poderia salvar uma pessoa. O conteúdo desta revelação não poderia ser recebido empiricamente ou derivado a priori. Eles consideravam essa gnose tão valiosa, que ela precisava ser mantida em segredo. Aqui estão os dez princípios da revelação gnóstica:

  1. O criador deste mundo é demente.
  2. O mundo não é como parece; de modo a ocultar o mal que há nele, existe um véu ilusório obscurecendo-o e à divindade insana.
  3. Existe um outro, melhor reino de Deus e todos nossos esforços devem ser direcionados a:
    a. voltar para lá
    b. trazê-lo para cá.
  4. Nossas verdadeiras vidas se estendem milhares de anos atrás, e nós podemos ser levados a lembrar nossa origem nas estrelas.
  5. Cada um de nós tem uma contraparte divina, não-caído, que pode estender uma mão para nós de modo a nos acordar. Essa outra personalidade é o autêntico eu desperto; o que temos agora é adormecido e menor. Nós estamos de fato adormecidos e nas mãos de um feiticeiro perigoso disfarçado de deus bom, o demente deus criador. A tristeza, o mal e a dor neste mundo, o fato de ser uma prisão determinista controlada pelo criador demente nos leva a romper voluntariamente com o princípio da realidade no início da vida e, por assim dizer, a adormecer voluntariamente no delírio.
  6. Você pode passar do mundo prisão delirante para o reino pacífico se o Verdadeiro Deus Bom o colocar sob Sua graça e lhe permitir ver a realidade através de Seus olhos
  7. Cristo deu, em vez de receber, a revelação; ele ensinou seus seguidores como adentrar o reino enquanto ainda em vida, enquanto outras religiões de mistério só trazem anamnese: conhecimento no “outro tempo”, no “outro reino”, não aqui. Ele faz com que ele (o conhecimento) venha aqui, e é a agência viva do Único Deus Bom (isto é, o Logos).
  8. Provavelmente a verdadeira e secreta igreja Cristã ainda existe, há muito tempo clandestina, com o Corpus Christi vivo como seu chefe ou governante, os membros absorvidos nele. Através da participação nela eles provavelmente têm poderes vastos, aparentemente mágicos.
  9. A divisão em “dois tempos” (bem e mal) e “dois reinos” (bem e mal) terminará abruptamente com a vitória do bem, conforme o reino atualmente invisível se separa e se torna visível. Não podemos saber a data
  10. Durante este período de tempo estamos na ponte de peneiração sendo julgados de acordo com qual poder nós damos lealdade, o insano demiurgo criador deste mundo ou o Único Deus Bom e seu reino, que conhecemos por meio de Cristo.

Conhecer estes dez princípios do Cristianismo Gnóstico é enfrentar um desastre.

(Trecho do livro “Exegese”, de Philip K. Dick)

Anúncios