A única alternativa para a humanidade é a disciplina. Disciplina é o único meio de deter a instalação alienígena. Mas por disciplina não quero dizer rotinas severas. Não quero dizer acordar cedo, às cinco e meia da manhã e ficar jogando água fria no rosto até se tornar azul. Os feiticeiros entendem por disciplina a capacidade de enfrentar com serenidade obstáculos que não estão incluídos nas nossas expectativas. Para eles, disciplina é uma arte: a arte de enfrentar o infinito sem titubear, não porque são fortes e resistentes, mas porque estão cheios de respeito e assombro.

Os feiticeiros dizem que a disciplina torna a capa brilhante de consciência não palatável ao voador. O resultado é que os predadores ficam desnorteados. Suponho que a capa brilhante de consciência, que não é comestível, não faça parte de sua cognição. Depois de ficarem desnorteados, eles não têm alternativa a não ser deixar a sua tarefa abominável.

Se os predadores não comerem nossa capa brilhante de consciência durante um período, ela continua crescendo. Simplificando essa questão ao extremo, posso dizer que os feiticeiros, por meio de sua disciplina, afastam os predadores o tempo suficiente para permitir que sua capa brilhante de consciência cresça além do nível dos seus dedos dos pés. Uma vez ultrapassado esse nível, ela cresce de novo até seu tamanho natural. Os feiticeiros antigos costumavam dizer que a capa brilhante de consciência é como uma árvore. Se não for podada, cresce até o seu tamanho e volume naturais. À medida que a consciência atinge níveis mais altos do que os dedos dos pés, as manobras tremendas de percepção se tornam um fato natural.

O grande truque daqueles feiticeiros dos tempos antigos era carregar a mente dos voadores com disciplina e silêncio interior. Descobriram que, se sobrecarregassem a mente dos voadores, esta, subjugada, fugiria, dando-lhes certeza total de sua origem alienígena.

O perigo real é que a mente dos voadores pode vencer a batalha ao fazê-lo se cansar e forçá-lo a desistir, brincando com a contradição entre o que ela diz e o que eu digo.

Veja, a mente dos voadores não tem concorrentes. Quando propõe algo, concorda com a própria proposta, e faz você acreditar que fez algo de valor. A mente dos voadores lhe dirá que o que Juan Matus lhe diz é pura bobagem, e a mesma mente concordará com a própria proposta. Essa é a forma pela qual nos sobrepujam.

A instalação forânea volta, eu lhe asseguro, mas não tão forte, e começa um processo no qual a fuga da mente dos voadores se torna rotina, até que um dia fogem para sempre. Com certeza um dia triste! Esse é o dia em que você deve confiar nos seus próprios recursos, que são quase zero. Não há ninguém para lhe dizer o que fazer. Não há nenhuma mente de origem forânea para ditar as imbecilidades a que você está acostumado.

Esse é o dia mais duro na vida de um feiticeiro, pois a mente real que nos pertence, a soma total de nossas experiências, o tonal, depois de toda uma vida de dominação, tornou-se tímida, insegura, evasiva. Pessoalmente, diria que a batalha verdadeira dos feiticeiros começa nesse momento. O resto é mera preparação.

Fonte: http://www.metro.org.br/editor/a-disciplina-contra-a-instalacao-alienigena

Anúncios