Miguel Conner, escritor norte-americano de sci fi e editor/apresentador do programa radiofônico “Aeon Bytes Gnostic Radio” (programa de debates e entrevistas semanais sobre temas do Gnosticismo, literatura e cultura pop), elaborou uma lista de itens que caracterizam se você é gnóstico. Apesar do tom irônico e, às vezes, engraçado, dá para perceber a seriedade das teses do gnosticismo em cada item. Mais do que isso, demonstram que o Gnosticismo não é uma religião, doutrina ou filosofia plenamente sistematizada como afirma Stephen Holler: “O Gnosticismo é uma certa atitude da mente, uma ambiência psicológica (…) um certo tipo de alma é, por sua própria natureza, gnóstica”.  Se pelo menos o leitor se enquadrar em um desses itens abaixo, pode se considerar com uma séria inclinação à visão de mundo gnóstica.

 

1 – Ao ouvir a palavra “Deus”, pelo menos dez diferentes definições sobre Ele surgem na sua cabeça ao ponto de, às vezes, perder a consciência por alguns segundos.

2 – Sua “Bíblia” é composta por três ou quatro grossos volumes rodeados por um conjunto de livros de autores como Stephan Hoeller, Hans Jonas, RudolphKurt, William Blake, Carl Jung e Elaine Pagels. Por perto pode haver uma sacrossanta pilha de DVDs com possíveis títulos como “The Matrix”, “The Prisoner”, “Dark City”, “Show de Truman” ou “Clube da Luta”. Ao lado uma outra pilha, dessa vez de revistas de ficção científica e HQs cujos últimos nomes dos autores figuram como Moore, Wilson, Dick, Miller ou Morrison, só para citar alguns. Ah! E tem uma cópia da Bíblia verdadeira em algum lugar ao seu alcance.

3 – A palavra “lacuna” deixa você de mal humor.

4 – Você sempre acreditou que nasceu no lugar errado e na hora errada. Com a idade, porém, cresce uma incômoda sensação de que você nunca vai pertencer a qualquer tempo ou lugar. Sua verdadeira casa é a imaginação, porque nada na Terra ou no Céu foi concebido para igualá-la.

5 – Questionado se você é teísta, ateísta ou deísta, muitas vezes responde que “sim”.

6 – Você substitui os termos “Lei de Murphy”, “Karma”e “sorte” pelo termo “Archons”. Se o seu computador tem uma indigestão, sua Internet está lenta ou seu carro lhe trai no pior momento, você culpa os Arcontes. Na verdade você nunca os viu ou sabe se eles existem.

7 – A mais árdua ou extática relação que você teve na vida foi com personagens como Paulo de Tarsus e Maria Madalena.

8 – Na infância se perguntava como o Deus do Antigo Testamento poderia ter sido realmente o pai de Jesus Cristo. Agora que você é um adulto, sabe que a Bíblia tem muitos deuses e muitos Cristos.

9 – Uma das observações que você mais faz para as pessoas: “Não é A-gnóstico, é G-nóstico. Não existe um “A”, cara!”

10 – Você tem certeza que teve uma experiência chamada “gnose”, mas quando esteve no centro do labirinto, não foi capaz de explicar a experiência até ela desaparecer como uma onda no litoral. Em outras palavras, a pílula vermelha vai descer lentamente e algumas vezes o copo estará totalmente vazio.

11 – Não tem problemas com a palavra “religião”, mesmo que ainda não tenha descoberto o que ela tem a ver com você. Isso constantemente irrita seus colegas ocultistas e new agers.

12 – Você ouve vozes por toda parte, mesmo nas profundezas de lugar nenhum. Todo o Universo é uma sinfonia que chama por você – ou algo mais parecido com um amargo réquiem proveniente do inocente estado do Ser quando você e as estrela eram uma coisa só e não havia fronteiras, regras ou identidade. Se você conseguir lembrar totalmente dessas origens, finalmente chegará ao fim do início de quando você não existia.

Traduzido por Wilson Roberto Vieira Ferreira a partir do original CONNER, Miguel. “You Might be a Gnostic if…”
Fonte: https://cinegnose.blogspot.com.br/2011/12/voce-sabe-que-e-gnostico-quando.html

 

Anúncios